Somos sabedores que uma imagem pode contar muita coisa, inclusive ajudar a desvendar crimes, acusando ou ainda inocentando uma pessoa.

Imagine, por exemplo, que alguém esteja sendo acusado de um crime do tipo Latrocínio (roubo seguido da destruição de uma vida humana), entretanto no mesmo horário e data o mesmo alguém, foi fotografado em uma festa em algum lugar afastado do local do crime. Esta prova talvez fosse bastante razoável para inocentar o acusado.

Mas e sé o próprio acusado foi quem bateu a foto? como provar que o mesmo esteve no local? Será que a foto tirada pelo acusado pode nos fornecer provas suficientes para inocenta-lo?

Bem tecnicamente falando a resposta é Sim! Esta foto pode nos contar muitas coisas e fornecer dados muito interessantes.

Para ilustrar esse exemplo usarei a foto de uma paisagem mostrada na Imagem1.

IMG_4010.JPG
Imagem 1 – Rio Grande do Norte

 O nome da imagem 1 é IMG_4010.jpg, para esta analise utilizaremos a ferramenta mdls gratuita e presente por padrão nos computadores contendo sistemas operacionais oriundos da Família BSD, Mac OSx por exemplo. A ferramenta mdls é descrita na Imagem 2.

Screen Shot 2016-11-26 at 01.13.51.png

Imagem 3 – Ferramenta MDLS.

A imagem 3 abaixo mostra a primeira parte do resultado extraído dos metadados da foto em questão e temos o seguinte:

Screen Shot 2016-11-26 at 02.21.27.png

Imagem 3 – Primeira parte do Resultado do MDLS.

Para que o post não se estenda muito, foi destacado da Imagem 3 quatro partes interessantes a serem observadas de dados que a ferramentas nos extraiu dos metadados da foto, são eles:

  1. Possui informações sobre o a marca e o modelo do aparelho em questão.
  2. Possui a altitude que o aparelho encontrava-se aquele momento.
  3. Possuem dois dados de suma importância para perícia, data de criação e data de modificação do arquivo.
  4. E a quarta região mostra a Latitude e a Longitude fornecidas pelo GPS do aparelho no momento da foto.

Na segunda parte é destacado informações pertinentes a foto propriamente dita, como mostra a Imagem 4 no item 5.

Screen Shot 2016-11-26 at 02.29.30.png

Imagem 4 – Resultado do MDLS segunda parte.

Esta segunda parte no trás o número de pixels da imagem, o número de pixels na horizontal e vertical resolução velocidade e a informações se alguns recursos estavam sendo utilizados ou não.

Agora vamos jogar as coordenadas informadas na foto no Google Maps e ver onde a mesma foi tirada.

Screen Shot 2016-11-26 at 09.00.14.png

Imagem 4 – Ponto das coordenadas informadas pela foto, em frente ao aeroporto internacional Pinto Martins em fortaleza.

Portanto, com um arquivo desse se você possui uma acusação de um crime em um lugar suficientemente distante a este, é possível usar a imagem como prova de que o acusado realmente estava em outro local no momento do referido crime.

Não somente a localização mas muitos outros dados fornecidos pelos metadados podem ser utilizados para solução de crimes.

Espero ter ajudado. Dúvidas?

Agradeço ao amigo Marcus Paulo pelo inventivo a este post. Valeu MP.

Anúncios